quinta-feira, março 30, 2006

Será a menina dos bróculos?

Já tenho a Atlântico do Paulo Pinto Mascarenhas. E a primeira pergunta que se me oferece fazer é: quem é a senhora que está agarrada ao José Sócrates no cartoon da página 9?

Idade do Gelo 2

A Idade do Gelo 2 estreia hoje. Let's look at the trailer!
(amavelmente enviado por MFA)

Muito boas notícias

José Maria Martins

O advogado José Maria Martins (mandatário de Bibi) pode ter sido suspenso pela Ordem dos Advogados, mas é sem dúvida o máior! Depois de ter deambulado pela 1.ª vez no blogue do referido sujeito, não resisto a citar algumas pérolas de fazer rir o mais trombudo (atrevo-me a comentar alguns deles):
"Por causa disso: alguém consegue esclarecer como é que o Bloco de Esquerda tem tanto dinheiro para propaganda?"
Eu também gostava de saber. Se eu fosse advogado punha uma acção contra o Anacleto a ver se ele conseguia provar de onde vem a massa toda. Malandro!
"Sabem que os milhares de pessoas que nos contactam, que nós contactamos nas ruas, nas feiras e mercados onde vamos fazer campanha política e recolher assinaturas/ nos bairros das grandes cidades , estão prontas a fazer o que acontece agora em França.A stuação é de tal desaforo e falta de vergonha que só a anestesia que a tradição cultural portuguesa impõe impede de haver tumultos sociais garndes e graves. Mas a situação é insustentável."
Não percebo se a tradição cultural portuguesa impõe ou impede!
"A minha batalha é essa. Por um Portugal melhor, mais justo e fraterno. Lutarei em defesa do nosso Portugal , para que seja um Estado desenvolvido, onde a família seja protegida, onde o emprego e o desenvolvimento sejam realidades.Um Portugal livre, independente, prestigiado, no qual os nossos jovens tenham esperança fundada no futuro , onde os nossos idosos saibam que têm assegurada a sua velhice, com dignidade."
"A Comunicação social defende interesses de grupos de amigos, dos comissários políticos dos partidos. Isto tem de mudar. Isto tem de ser alterado. Parecem paquetes a venerar os donos!!!Não admira que o Povo esteja a revoltar-se. Contra o poder de Espanha em Portugal. Espanha já pagou aos mercenários. Espanha já comprou Portugal."
Paquetes a venerar os donos? Comissários políticos dos partidos? Povo a revoltar-se? Fico cansado com tanta informação importante ao mesmo tempo.
"Portugal vive dos dinheiros da União Europeia, da remessa dos emigrantes e das receitas do turismo. Tudo fontes contingentes. Sem a União Europeia nada nos diferenciava das republicas das bananas da América Latina com os consequentes golpes de estado militares. Por isso, eu e um grupo de amigos formamos um grupo de reflexão e intervenção política , o MPD- Movimento Para a Democracia, que nos próximos dias terá um blog e iniciará a intervenção civica e política, para servir de base aos desafios que o futuro nos reserva."
O que são fontes contingentes? Tenho algum receio em saber que amigos são esses!
"Qualquer presidente de Câmara toma posse com uma mão atrás e outra à frente. No fim do primeiro mandato muda do apartamento para a vivenda. Nasceu um novo rico!"
Nunca tinha reparado nesta coreografia das mãos nas tomadas de posse dos autarcas. Mas eu também gostava de trocar o meu apartamento por uma vivenda. Onde é que me inscrevo?
"Caros amigos, há muito que não escrevia no meu blog. Fiz uma espécie de licença sabática. Aproveitei para ler e pensar. Regresso agora porque não posso mais calar. Portugal não existe. Ou existe como um feudo de meia dúzia. Cada vez mais somos a cloaca da Europa. Já não tinhamos Justiça, economia, emprego, desenvolvimento técnológico, agricultura , pescas, ORGULHO . Hoje já os nossos nacionais vão nascer a Badajoz!!! Nem temos maternidades. Só a cegueira e a subserviência pode justificar que um português vá nascer a Espanha!!!Algum grego admitia ir nascer na Turquia? Que individuo pode aceitar que os filhos de gente de Elvas, e outras povoações raianas , vão nascer a Badajoz? A Espanha? José Socrates está cego? Ele sabe História?"
O que é a cloaca da Europa? E isto dos nacionais irem nascer a Badajoz é um escândalo. Se eu fosse advogado criava um Movimento dos Nacionais que Foram Nascer a Espanha mas Preferiam Ter Nascido em Portugal - MNFNEPTNP!
"Depois, José Miguel Judice - ex-membro da organização terrorista MDLP - diz nos jornais que o Estado deveria consultar sempre os maiores escritórios de advogados quando quer patrocinio forense. Nada mais fez que reivindicar o que era hábito! Alguns escritórios rebelaram-se. Rogério Alves cedeu e mandou abrir processo contra Judice. Agora tem os lóbis, os senhores do regime, andam a fazer abaixo assinado a favor de Judice. Pudera $$$$$$$$."
Não percebo o sinal dos cifrões! Eu assinei o abaixo assinado e ninguém me deu o $. Tenho de saber onde é que posso ir receber!
"Caros Colegas advogados, vamos erger a nossa voz, vamos lutar por valores, os democráticos, vamos deixar o individualismo para que os nossos filhos se possam orgulhar de nós. A cambada tem de perder o poder! Portugal não pode ser esta porcaria, esta gente que nada mais vê que os seus interesses nacionais."
Quem é a cambada, essa malandreca que está no poder? Apoio em deixar o individualismo.
"Caros amigos advogados. É hora de nós constituírmos sindicatos que nos defendam. A Ordem só defende os advogados ligaos ao Poder. Agora os ligados ao PS.A Ordem deve ser ultrapassada, devemos associar-nos em Sindicados. Devemos lutra no seio da União Europeia e da Convençao Europeia dos Direitos do Homem para acabar com o monopólio da Ordem na regulamentação da profissão. Os que lá estão defendem o poder deles e dos amigos. Ninguém toca em qualquer individuo da Ordem porque o Conselho Superior abafa tudo."
Depois de ler tudo isto, confesso que fiquei sem perceber em que área política o sujeito se enquadra. Sugiro que leiam.

Mais outro que amuou

"Vou abandonar o Aspirina" (Nuno Ramos de Almeida)

Tinha que ser, ao menor sinal de discordância os ratos saltam fora com uma rapidez admirável. Depois ainda se admiram que ninguém (ou quase ninguém) acredite naquilo que apregoam. Adivinhem que vai ser o próximo?

Medo, muito medo

Li no Cais da Linha. Ao que parece os canadianos preparam-se para uma retirada estratégica, antecipando uma reacção violenta por parte dos portugueses, tendo publicado este anúncio em diversos jornais.
Diz o anúncio:
"ATENÇÃO A TODOS OS CIDADÃOS CANADIANOS RESIDENTES OU TURISTAS EM PORTUGAL
O Governo do Canadá informa os seus cidadãos que se devem inscrever na Embaixada do Canadá a fim de poderem ser contactados em caso de SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA."
Vou começar a caça ao canadiano durante a minha hora de almoço. Tenho aqui um "abre-cartas" bem afiado que já deve dar para magoar uns quantos.
P.S. À semelhança deste post, o anúncio só pode ser brincadeira.

Palavras (des)conhecidas

purpurina: 1. Substância insecticida, extraída da raiz da ruiva. 2. Metais reduzidos a pó e empregados em tipografia para as impressões a oiro e prata.

In Grande Dicionário da Língua Portuguesa, de Cândido de Figueiredo

Nota: esta palavra vem a propósito do anúncio da Onivox, que já ouvi centenas de vezes, e irritava-me não saber que raio a miúda tinha comprado para ficar tão excitada a telefonar à Bé e às amigas todas. Só não percebo a razão de tamanha excitação: com um insecticida que tiraram do cabelo de uma ruiva!?

Chávez: herói ou vilão?


Hugo Chávez tornou-se no novo herói da esquerda. Fundamentalmente por fazer frente a Bush. O que a esquerda bem sabe, mas ignora de forma criminosa, é que Chávez não passa de um ditador aldrabão e ordinário, cuja preocupação pelo povo não passa de palavras sem consequências práticas. O André Azevedo Alves publicou uns vídeos no insurgente que retratam bem o que se passa actualmente na Venezuela.

A escrita - aos advogados

Disse, em tempos, que a escrita é "a mais vibrante (senão a mais sublime) das manifestações da existência". Não o diria por mim, mas pelo muito que tenho lido, aqui e não só; das dissertações filosóficas às críticas políticas humoradas, do comentário oportuno às reflexões mais variadas, originais e arrojadas... Enfim, leio de tudo um pouco. Permito-me até o luxo de me ir fidelizando a alguns cronistas cuja leitura já não dispenso. E é por estas e por outras que cada vez mais me rendo a este mal (?) da incontinência verbal, à imagem do vício dos "kisses"! Mas hoje fico por aqui, que o dever me chama a outras margens... Deixo apenas esta nota, em tom de advertência aos advogados e senhores de leis (que é também para mim, pelas razões óbvias).
Diz Raskolnikoff (o protagonista de "Crime e Castigo"), a propósito de uma carta escrita pelo noivo da sua irmã:
"É advogado, tem pretensões a orador, e escreve como um analfabeto, um ignorante. É o estilo jurídico, são assim redigidos todos os papeis judiciários. É esse o estilo dos homens de leis, dos homens de negócios... nem demasiado vulgar nem demasiado literário: estilo de advogado".
E a sua irmã, apesar de ofendida, responde:
"Compreendo que traduziu muito indelicadamente o seu pensamento e que não é talvez muito hábil escritor... A tua observação é muito justa, meu irmão."

Polícia Judiciária

Ao que parece a Direcção da PJ ameaça demitir-se em bloco. Alguns órgãos de comunicação social apresentam como razão as dívidas "monstruosas" a fornecedores, ao passo que outros alegam que se prende com a intenção do Governo em avocar o pelouro dos contactos com outras polícias internacionais (como seja a Interpol). Seja qual for a razão, estamos perante uma situação grave que fragiliza a própria polícia e o Governo. Espero que a resolução do problema seja rápida e discreta.

Encerramento de maternidades

Estranho aquele quase silêncio dos partidos de esquerda na discussão acerca do encerramento das maternidades. Se eu fosse adepto de teorias da conspiração diria que tem a ver com a dificuldade que esses mesmos partidos têm a lidar com esta vocação das mulheres que é ser Mãe.

Tudo sobre os Blogs


"Blogging is like those little Hershey’s Kisses chocolates. You can stay away and abstain from them for as long as you want. But the minute you pop one into your mouth, you need one more, and one more. And one more. Till you find you are back to posting at your old frequency."

Lei da paridade

A lei da paridade vai ser hoje discutida na AR e deverá ser aprovada com os votos do PS e do BE. O projecto que vai ser objecto de discussão e votação estabelece a obrigatoriedade das listas de candidatos às eleições legislativas, autárquicas e europeias integrarem, no mínimo, um terço de mulheres ou homens. Já aqui disse que penso tratar-se de um enorme disparate. Não obstante o projecto referir que a "quota" mínima se aplica igualmente aos homens é evidente que a lei se destina claramente às mulheres, as quais, mais uma vez, são tratadas como crianças ineptas. O problema (que para mim não constitui problema nenhum), que está na base desta inovação legislativa, prende-se com o facto de as mulheres terem uma fraca participação política, nomeadamente ao nível da função de deputadas. Isto só se pode dever a:
- discriminação por parte dos homens; ou a
- opção das mulheres.
Qualquer que seja a opção, parece-me um erro crasso querer impor através da nova lei uma alteração comportamental.
Com efeito, se o problema são os homens e se esta é uma questão assim tão importante criem um partido composto maioritariamente por mulheres e deixem que sejam os eleitores a decidir o número de mulheres que pretendem a exercer as funções de deputadas.
Já se a razão está na vontade das próprias mulheres, parece-me abusivo o Estado querer impor uma participação que não é desejada.
Este é mais um falso problema que diminui as mulheres e que em nada vai beneficiar a qualidade dos nosso políticos.
De certa forma, é também uma medida que contém em si mesmo uma grande dose de fariseísmo, uma vez que o próprio Governo tem uma composição maioritariamente masculina, em nada consonante com a medida que pretende agora aprovar.

Intolerância

França: a luta que o BE apoia

quarta-feira, março 29, 2006

E transcrevo estas palavras... II

Paiva Couceiro nos últimos dias de vida:

" Só tenho uma coisa a fazer: sofrer, calar e andar para a frente. Ele (e apontava para o Crucifixo) sofreu, muito mais por nós, para nos salvar. É justo que eu também sofra por Portugal. Sozinho não posso nada, mas com Ele vou para toda parte. Pega-me pela mão e leva-me para onde quiseres. Ele é o meu amor de sempre, de toda a minha vida."

in Paiva Couceiro, Biografia Política e In- Memoriam, Francisco Manso Preto Cruz

França

A debandada geral

À semelhança do que tem vindo a acontecer no BE, também o aspirina (aquele que tem vindo a ser o blogue não oficial mais conhecido daquela instituição política) começa a dar sinais de desagregação. É, aliás, curioso, ver como os próprios que clamam histericamente por tolerância são eles mesmos os maiores intolerantes que por aqui andam. E são-no tanto na política como na religião. Cá para mim tenho que resulta da sua enorme arrogância e suposta superioridade mental. Agora foi o Luís Rainha (o mesmo que em tempos, numa caixa de comentários do insurgente e em resposta a uma provocação minha, optou por pôr a minha família ao barulho apelidando-a de alguns nomes feios) que, não aceitando opiniões diferentes da sua, nomeadamente as de valupi, optou por abandonar o barco. A avaliar pela sua escrita, suspeito que o Rainha tenha algum trauma de infância ou qualquer outra perturbação que o torna num sujeito amargo e, aparentamente, infeliz. Enfim, nada que uma boa terapia não resolva.

Ódio ateísta

Os suspeitos do costume (que ocupam na política o lugar que no circo estaria reservado aos palhaços) acham mal que o Cardeal Patriarca tenha "privilégios protocolares" e que na tomada de posse de Cavaco tenha tido um lugar de destaque, como se pode verificar por esta notícia. O Professor Vital Moreira, qual papagaio amestrado, aplaude a ideia e diz que é tempo de "acabar com cerimónias religiosas oficiais, retirar os símbolos religiosos dos serviços públicos (escolas, prisões, hospitais, etc.), extingur as "capelanias" oficiais e pôr termo a todas as outras violações subsistentes do mesmo princípio.".
Eu também tenho uma sugestão: dado que os senhores do BE representam bastante menos pessoas que o Cardeal Patriarca (enquanto "cabeça" da Igreja Católica em Portugal), sugiro que os mesmos, em todas as cerimónias oficiais, passem a estar sentados juntamente com o porteiro da AR à entrada do edifício.
Sugiro igualmente que a Igreja decida acabar com todo o serviço público que presta actualmente através dos lares, escolas, ipss e outros, em substituição do Estado, e que, pelos vistos, se revela plenamente injustificado quando ouvimos as patetices que pessoas como os Professores Anacleto e Vital Moreira andam por aí a dizer.

Maldita relva!

terça-feira, março 28, 2006

Para a próxima manda lá o Sócrates!

Aqui neste post o incontinente Rui sugeriu à Fernanda Câncio que para a próxima fosse ela própria comprar os bróculos. Eu se fosse a ela mandava lá o Sócrates! Ele até deve ter olho para escolher bróculos da horta do Sr. Manel cultivados sem pesticidas.

Abdul Rahman foi libertado

De acordo com o ministro da ministro da Justiça do Afeganistão, Sarwar Danish, o cidadão afegão e cristão, Abdul Rahman, foi libertado da prisão ontem à noite. Será que a pressão internacional teve alguma coisa a ver com isto?

In Publico

Excesso de produtividade

Passa-se na China. Ao que parece o Hospital inaugurou uma ala e era suposto fazer a transferência de doentes e de material. Este auxiliar é ultra-produtivo e, muito zeloso, decidiu transportar doente e material ao mesmo tempo!

Os homens preferem as louras?

Para a próxima vai tu comprar os bróculos!

"no outro dia pedi à empregada doméstica que comprasse bróculos. bróculos, aquelas coisas verdes, tipo raminhos, que se vendem em qualquer mercearia, estão a ver? pois a senhora foi ao corte inglês, onde se vendem algumas coisas que não se vendem em mais lado nenhum (tipo yogurtes e kefir de cabra, que são a minha perdição de pequeno almoço) e fez lá as compras todas, razão pela qual dei com uma embalagenzita de plástico transparente com 300 gr de pézinhos de bróculos que asseverava estarem os ditos lavadinhos e prontos a usar até ao dia seguinte (!) mas não ostentava preço em nenhum sítio. vai daí fui inspeccionar a conta e ia caindo para trás. aqueles singelos 300 grs de bróculos tinham custado 3 euros. 3 euros cada 300 gr dá cerca de 10 euros o quilo. ou seja, dois contitos de réis por quilo de bróculos.um quilo de bróculos 'dos bons' ali na mercearia do bairro custa 1 euro e trinta!!!!!!!!!! sou só eu que acho isto absolutamente revoltante? (...)"
Fernanda Câncio no Glória Fácil

Canadá

Este problema da expulsão de alguns portugueses do Canadá, à semelhança do que aconteceu noutros países também com emigrantes portugueses, suscita sempre paixões nacionalistas e sentimentos negativos relativamente ao país que alegadamente nos destrata ao rejeitar cidadãos portugueses. O problema é complexo e levanta questões que se prendem com as quotas, as condições de vida de quem emigra nos países de acolhimento, o desemprego e a exploração dos ilegais. Alguns partidos da oposição, nomeadamente o BE, já vieram criticar a forma como o Governo português está a lidar com esta situação. Em minha opinião, a confirmar-se aquilo que foi ontem afirmado pelo Secretário de Estado das Comunidades, o BE está a ser uma vez mais demagógico e irresponsável. Ao que parece, a maioria dos portugueses que estão a ser repatriados, alegadamente aconselhados por terceiros, optaram por pedir o estatuto de refugiados, o que implica que terão alegado no seu processo de legalização que eram perseguidos no seu país de origem ou que lhes faltava a liberdade. A ser verdade, é óbvio que as autoridades canadianas não podem autorizar a sua permanência em território canadiano, por muito que isso nos custe enquanto portugueses. A meu ver, partidos como o BE deviam, antes de tentar ganhar votos com posições populistas, tentar perceber o que se está a passar e a exigir que os responsáveis pelo processo de legalização dos portugueses (os tais que os aconselharam a pedir o estatuto de refugiados) sejam responsabilizados por esse facto.

Descubra as diferenças

Um sapo difícil de engolir

A Joana Amaral Dias (mandatária para a juventude do candidato que ficou em 3.º lugar nas últimas presidenciais) ainda não conseguiu engolir a pesada derrota eleitoral do candidato por si apoiado. Neste e neste posts dá a entender que ainda fala e escreve acerca do assunto com os dentes semi-cerrados. Os incontinentes pensam que a melhor terapia para este trauma passa exactamente pela estratégia contrária daquela que a Joana tem vindo a adoptar; ó rapariga esqueça as eleições e deixe lá em paz os senhores candidatos (um deles Presidente) que enxovalharam o Dr. Soares. Dedique-se aos problemas do seu partido, esses sim preocupantes. Já viu que é a debandada geral? Veja mas é se despacha o Professor Anacleto e arranja um "líder" à séria! Que olhe menos para o seu próprio umbigo e mais para os problemas do país.

segunda-feira, março 27, 2006

Sim à América

A modernidade tem posto em causa (de várias formas, e em vários momentos) a herança de muitos séculos, no que toca à estruturação axiológica do chamado "Estado de direito". Falo da organização do Poder, feita na base de valores que necessariamente pedem uma hierarquização. E só faz sentido tutelar uma propriedade privada, ou uma liberdade religiosa/de expressão, etc, se no primeiro lugar dessa hierarquia de tutelas estiver a Pessoa Humana. Esta centralidade da Pessoa (e isto é fruto da História e do progresso natural dos Estados, não é politiquice minha!) é a base, o fundamento, o critério (de valor e de acção) e o limite do poder político. E são vários os sub-princípios/direitos que asseguram a efectivação desta mesma ideia, a exemplo: o princípio da inviolabilidade da vida humana, o direito de acesso à justiça, o princípio da responsabilidade dos governantes, o direito à autotutela privada (legítima defesa e direito de resistência), etc.
Ora, a América, se não é um "wonderland" perfeito, pelo menos numa coisa, convinhamos, merece destaque: na defesa da Liberdade. Porque o primeiro corolário da dignidade da Pessoa Humana é, inevitavelmente, a Liberdade. O contributo foi, em grande parte do desenvolvimento constitucional nos EUA, no sentido da não discriminação.
Tudo isto para introduzir uma coisa que soube, há tempos, e que me espantou: a Câmara dos Deputados dos Estados Unidos decidiu bloquear o uso de verbas federais para experimentar e aprovar qualquer tipo de produto farmacêutico que provoque o aborto, inclusive a pílula de origem francesa RU-486 (a pílula do dia seguinte, de que tenho falado aqui). «O governo federal não tem direito a utilizar o dinheiro dos contribuintes para produzir medicamentos que provocam o aborto», assegurou o promotor da emenda, o deputado Tom Cobum. É por isto que, mesmo não concordando com muita coisa da parte dos "States", nesta guerra não posso deixar de lhes dizer que sim.

Descubram as diferenças V (adenda II)

Gripe das Aves

Vai uma ganza?

Será que é desta que o Professor Anacleto e seus muchachos vão deixar cair a tentativa de legalização das drogas leves (sendo que um dos fundamentos para a legalização do cannabis se prendia com os efeitos medicinais do mesmo)?

TESE - Pais protectores (actualização)

No seguimento deste post, alguns blogues deram a mão à iniciativa e deram "voz" ao projecto pais protectores, a saber: bloguitica (Paulo Gorjão), blue lounge (Rodrigo Adão da Fonseca) e insurgente (André Azevedo Alves) - desde já peço desculpa se me escapou algum. Os incontinentes sabem que outros bloggers se preparam para o fazer e que há também quem tenha optado por divulgar o projecto de outras formas. Esta lista será actualizada em permanência. Não sabemos se esta micro causa já deu frutos, mas sempre que haja novidades acerca do assunto serão aqui colocadas.

As tréguas da ETA


"Roubado" ao Blasfemias

Absurdo

Venham os porcos!

Com a boca não sei, mas já ganhámos com a mão... de Vata!

Peçam que toca!

A pedido do Godfather aqui fica I Will Survive de Gloria Gaynor.
Enjoy!

Aposto que vai ser um fiasco

sábado, março 25, 2006

"O retrato da escola" in Única

"Alguns preferem ser médicos ou professores, a maioria futebolistas, mecânicos ou trolhas" (o bold é meu).

sexta-feira, março 24, 2006

TESE - Pais protectores (micro causa)

Aqui tinha falado do assunto. Assim sendo, os incontinentes decidiram lançar uma "micro causa" (hoje em dia muito usual na blogosfera), a qual se pode vir a tornar numa macro causa. A ideia é que todos nós, que estejamos em condições de ajudar o próximo, possamos dar a mão a quem realmente precisa de ajuda. Passo a transcrever a apresentação de uma ONG (feita pela própria) com um projecto fantástico:
"A TESE é uma Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD), de Direito Português.
Tem por Missão contribuir para a melhoria das condições de vida das populações mais carenciadas, e promover o encontro de comunidades, entidades ou pessoas que necessitem de ajuda Humanitária. Para tal a TESE participa na concepção, promoção, execução e apoio a programas, projectos e acções de cariz social, em Portugal e em especial nos países em vias de desenvolvimento, nos sectores da tecnologia, engenharia, saúde e educação.
A parceria global para o desenvolvimento (Objectivo de Desenvolvimento do Milénio nº8) é a grande aposta estratégica dos TESE. Para tal promove a união de esforços entre todos os actores sociais e económicos em torno de projectos inovadores e integrados que contribuem para diminuir o fosso entre os desafios e as oportunidades de um futuro melhor e mais sustentável. Neste sentido a TESE desenvolve os seus próprios projectos, mas também promove a implementação de projectos de outras instituições, organizações ou empresas."
Ora, no âmbito do "Programa Criar Futuro" - cuja missão é contribuir para a melhoria das condições de vida das populações em Portugal e nos Países em Vias de Desenvolvimento (PVDs), a TESE tem o projecto Pais Protectores que tem como base o conceito de adopção à distância. A cada Pai Protector que se inscreva é "atribuída" uma criança num dos quatro orfanatos apoiados pela TESE em Moçambique. A quota mensal ascende a 20€ e é encaminhada na sua totalidade para o orfanato, de forma a contribuir para suprir as necessidades básicas da criança.
Estamos a falar de 20 euros mensais. Eu já fumei e gastava seguramente mais do que este montante todos os meses. Representa 4 idas ao cinema (sozinho), 3 almoços baratos, ou meio bilhete para um qualquer concerto, etc. Com este montante é possível suprir as necessidades básicas de uma criança em Moçambique. Tantas e tanta vezes que olhamos para imagens de crianças abandonadas ou com fome em África, ficamos com muita pena, mas acabamos por nos esquecer pois estão muito longe. Temos agora a possibilidade de ajudar.
Quem estiver interessado em adoptar uma criança pode recolher mais informação neste site: http://www.paisprotectores.com/, onde poderá igualmente inscrever-se no projecto.
Podemos também divulgar este projecto nos nossos trabalhos, escolas, famílias e grupos de amigos.

Pílula abortiva RU-486

Não sei se lembram mas a pílula abortiva RU-486 foi aconselhada por estas senhoras aquando da sua visita a Portugal numa traineira, na qual se propunham fazer uns abortos. Foi desta forma que pretenderam demonstrar que Portugal é um país retrógrado. Tiveram, como é óbvio, o apoio do BE e do PCP nesta sua cruzada e chegaram a ter tempo de antena na televisão, onde a manda chuva da organização ensinou as mulheres portuguesas a fazer abortos através do consumo de determinados fármacos.
Não vou agora discutir este assunto, até porque em breve muitas palavras aqui se escreverão a propósito do referendo que se avizinha. Ainda assim, não posso deixar de chamar a atenção para esta notícia que dá conta de mais 2 mortes ocorridas no seguimento de abortos realizados com o recurso a esta pílula abortiva. Esta mesma pílula que as senhoras holandesas muito evoluídas tentaram impingir aquando da sua visita a Portugal e que aconselham no seu site.

V Encontro Mundial das Famílias

Para quem leu o post "Progenitores A e B!" e não saiba o que é o Encontro Mundial da Família aqui fica uma pequena explicação:

O Encontro Mundial da Família (EMF) "é uma grande convocação que cada três anos realiza o Papa para celebrar o dom divino que é a família. Reúne a centenas de milhares de famílias dos cinco continentes para rezar, dialogar, aprender, compartilhar e aprofundar o entendimento do papel da família cristã como Igreja doméstica e unidade baseie da evangelização." O próximo EMF terá lugar em Valencia em Julho de 2006, segundo decidiu o próprio Papa João Paulo II e ratificou recentemente seu sucessor, Papa Bento XVI. Para mais informações ver este site.

Descubram as diferenças V (adenda)

Papa Conciliador

Ao contrário daquilo que muitos vaticinaram aquando da sua "eleição" e contrariando a imagem de intolerância que lhe é atribuída, o Papa Bento XVI "arrisca-se" a ficar conhecido como o Papa Conciliador. É curioso ver que todos aqueles que criticaram a sua escolha estejam agora calados e não sejam capazes de reconhecer a bondade deste Pontificado.

Afinal o BE também esteve nas manifestações em França

Afinal, sempre esteve um representante do BE em França aquando das manifestações. Já quanto ao tema da "sessão política" confesso que fiquei baralhado. É que ainda ontem me disseram que os bloquistas defendiam a possibilidade do casamento ser dissolvido por um só dos conjuges, posição que me pareceu claramente liberal. Em que ficamos, a favor ou contra o liberalismo!?

Descubram as diferenças V

Progenitores A e B!

"O arcebispo de Valência, Dom Agustín García-Gasco, qualifica na sua carta desta semana de «ridículo» ter substituído no registro civil os termos «pai» e «mãe» por «progenitor A» e «progenitor B», respectivamente.
Segundo informou Aván, o prelado adverte que «quem se dedica a anular a identidade familiar, quem está fazendo desaparecer o significado jurídico e social de "ser pai" e de "ser mãe" está pondo sua mensagem ideológica para destruir a sociedade familiar e, com ela, a própria sociedade». Como conseqüência da lei que permite as uniões entre pessoas do mesmo sexo, incluindo a adopção de crianças, o Boletim Oficial do Estado estabelece com uma ordem do Ministério de Justiça a criação de um novo formulário de livro de família, no qual se utilizarão os termos «progenitor A» e «progenitor B» em lugar de «pai» e «mãe».
Para Dom García-Gasco, «a legislação espanhola em matéria de matrimônio e família é cada dia mais mentirosa, sectária e radical» e, também, «falta à verdade do ser humano e à própria natureza». Em sua carta pastoral, o arcebispo convida as famílias a «romper silêncios absurdos», porque «queixar-nos ou rirmos dos escândalos políticos anti-familiares não basta», e anima a considerar o V Encontro Mundial das Famílias como «uma ocasião privilegiada para que as famílias de todo o mundo manifestem sua iniciativa e sua solidariedade»."
(recebido por e-mail)

quinta-feira, março 23, 2006

Palavras (des)conhecidas

solerte: (s. m. e f.) Pessoa que usa de astúcia para enganar; pessoa manhosa.

In Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, Academia das Ciências de Lisboa

O choque tecnológico tem destas coisas...

Peçam que toca!

A pedido de moi même Brown Eyed Girl de Van Morrison.

Restaurador Olex

Hoje em dia fala-se muito de igualdades: entre o homem e a mulher, entre homossexuais e heterossexuais, etc. À laia dessa igualdade, invoca-se o respectivo direito que consta da nossa constituição. Quase todos sabem, porém, que um dos corolários desse princípio assenta em tratar desigualmente o que não é igual. Daqui resulta que não podemos, por exemplo, exigir os mesmos direitos para situações que não supõem igual tratamento. Vem isto a propósito da famosa agenda gay e da paridade que alguns quer impor nas eleições das mulheres para cargos políticos. Já muito disse sobre o assunto, mas não quero deixar de partilhar convosco mais um argumento que me parece decisivo: restaurador olex! (oiçam o anúncio com toda a atenção).
Para quem não tem som ou não consegue ouvir convenientemente, deixo este sábio conselho, aplicável a tantas outras coisas na vida:
"(...) o que é natural e fica bem é cada um usar o cabelo com que nasceu (...)"

Coisas que nos deviam mobilizar

Excelente post

"O BE apresentou uma proposta legislativa onde, segundo a imprensa, defende que relativamente aos contratos, um único motivo deve bastar para originar o a sua resolução: a vontade expressa de uma das partes, ou das duas. A justificação para tal medida será a de que os contratos devem adaptar-se às mudanças sociais e serem entendidos como um encontro de duas liberdades.Defende ainda que se a vontade das partes é indispensável para originar o contrato, não se compreende que ele se possa manter contra a vontade de uma das partes, podendo ser requerida a sua resolução a qualquer momento. O BE, com estes principios e coerentemente certamente passará a defender uma radical alteração das actuais leis do trabalho e do arrendamento, apenas para dar exemplos com iguais significativos impactos sociais, seguindo uma via liberalizadora que certamente surpreenderá uma parte significativa do seu eleitorado."
O Gabriel tocou na ferida e demonstrou uma vez mais a incoerência de pensamento de partidos como o BE. Seria bom que a comunicação social e os comentadores, à imagem do que faz com outros partidos políticos, desmascarasse as contradições insanáveis que existem nas posições do BE.

A independência da comunicação social

Os "impecáveis" também se zangam

"Ex-membro da mesa nacional (MN) e cabeça de lista em Cascais nas eleições autárquicas de 2001, José Casquilho protagonizou o mais recente abandono do Bloco de Esquerda, ao desvincular-se, em Fevereiro último, do partido, na sequência de divergências sucessivas com a cúpula do partido (...).
Em declaração ao Público, José Casquilho, doutorado em Engenharia Florestal, explicou que o facto de defender a utilização da energia nuclear era incompatível com a sua permanência no BE, além de estar também «farto do aparelhismo» no BE, «aspecto que parece inevitável no crescimento dos partidos».
Salientando que assistiu à dominação do «politicamente correcto», Casquilho considera ainda que «há um velho problema na esquerda (radical) que não se ultrapassa: a uma linguagem de inclusão tende a opor-se uma prática de exclusão. Parece que o Bloco está bloqueado por uma inevitabilidade dialéctica ligada ao seu nome. Pena que não se tenha chamado Mosaico de Esquerda e talvez o presente e o futuro fossem diferentes.»
Entretanto, também Joana Amaral Dias voltará a participar nos encontros daquele órgão, depois de ter exercido as funções de mandatária para a juventude da candidatura a Belém de Mário Soares.
Instada a comentar uma notícia do Semanário, que dava conta da eventual saída de Louçã do cargo de coordenador do BE, a dirigente afirmou que a «renovação é salutar», notando que o deputado «não pode eternizar-se» naquelas funções. «Mais cedo ou mais tarde tem de haver essa discussão», apontou.
Contactado pelo Público, Louçã desmentiu a notícia do seu afastamento e não quis adiantar se vai recandidatar-se às funções de coordenador geral."

Resistência que a esquerda irresponsável foi festejar na semana passada

"Pelo menos três polícias iraquianos morreram hoje num atentado perpetrado com um carro armadilhado num bairro a norte de Bagdad, no qual ficaram feridas outras cinco pessoas, algumas com gravidade, informaram fontes policiais.
O carro carregado de explosivos rebentou cerca das 10:00 locais (07:00 em Lisboa) à passagem de uma patrulha da polícia por uma rua no bairro Adamiya, cujos habitantes são na sua maioria sunitas, disse o chefe da polícia Wisam Saad.
A mesma fonte disse que outros dois veículos ficaram danificados com a explosão e adiantou que o número de mortos poderá aumentar porque alguns dos feridos estão em estado grave.
Pelo menos 18 pessoas morreram, incluindo um coronel da polícia, e mais de 50 ficaram feridas, numa série de ataques registados quarta-feira em várias regiões do Iraque."
É esta a resistência iraquiana ao "invasor" americano que a malta do BE, em que se incluem alguns camaradas aqui do lado, foi festejar e encorajar na manifestação da semana passada. Lembro-me a propósito de algo que o Nuno Ramos de Almeida me dizia, em tom indignado, num comentário a este post: "um crime é um crime mesmo que o criminoso seja um polícia francês"; eu corrijo: um crime é um crime mesmo que o criminoso seja um terrorista iraquiano com quem simpatizamos por andar a matar americanos (e pelo caminho aproveite para matar também alguns iraquianos que apareçam pela frente)!

Saco azul, o que é isso?

"«Seria bom que certas pessoas da direcção do PS fossem chamadas a dizer porque é que nada fizeram face às denúncias que lhes fiz», afirmou esta manhã Horácio Costa, ex-vereador socialista da Câmara Municipal de Felgueiras, a propósito do caso do «saco azul» daquela edilidade.
Horácio Costa falava à agência Lusa no Tribunal de Fafe, no final da leitura da setença de um processo em que Fátima Felgueiras foi condenada a pagar 12.500 euros de multa pela prática de difamação.
O ex-vereador socialista disse ter enviado em 2001 cartas ao primeiro-ministro António Guterres e aos ministros José Sócrates e Jorge Coelho denunciando a existência de um «saco azul» na câmara de Felgueiras. «Aqueles a quem foram endereçadas nem sequer as enviaram à Procuradoria-Geral da República», acrescentou."

quarta-feira, março 22, 2006

Comentário da primeira parte do jogo


Que grande jogador de andebol.

Palavras (des)conhecidas III (dedicada ao Nuno Ramos de Almeida do aspirina)

pantomimeiro, a, pantomineiro, a: 1. Pessoa que representa, que faz pantomima. 2. Pessoa que simula, manifesta sentimentos que realmente não experimenta, que age sem sinceridade. 3. Pessoa que engana, logra os outros com mentiras, com pantomimices. 4. Pessoa divertida que tem o hábito de gracejar, de fazer momices ou pantomimices.

In Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, Academia das Ciências de Lisboa

E transcrevo estas palavras como quem se sente honrado e feliz da valentia dos seus antepassados


"Naquela hora da nossa visita, mostrando-se Couceiro apreensivo pelo que o futuro podia ainda trazer de riscos a Portugal, apontamos-lhe para o Crucifixo como sinal de esperança. O comandante então, num movimento decidido de energia e convicção profunda , exclamou de olhos no Crucifixo: «Aquele é que é o meu Rei!» E, logo, a explicar: «Olhe, este crucifixo era do meu avô, soldado de D. Miguel. Morreu no cêrco do Porto à frente de uma companhia, de assalto.» E dizia estas palavras num tom de quem se sentia honrado e feliz da valentia do seu antepassado."
in Paiva Couceiro, Biografia Política e In- Memoriam, Francisco Manso Preto Cruz

O maradona é o maior!

"Há pessoas de quem uma pessoa só quer distância. Destas pessoas da manifestação contra a Ocupação, naturalmente, uma pessoa só ficaria satisfeita se vivesse num planeta com muitos mais que estes dois míseros hemisférios. Não pela opinião crua, de estar contra a Ocupação, que, tal como as coisas têm andado (não no Iraque, mas no Mundo), em si até muito mais facilmente defensável que a da Ocupação.
O slogan "Bush, fascista, és tu o terrorista", que ouvi a um grupo de mal cheirosos que por meu azar por mim passavam em direcção à festa, não é um acto puro e simples de propaganda, bastante desculpável se o fosse. Antes, é um programa político perfeitamente reconhecivel: antes de tudo o resto, o nosso inimigo é os Estados Unidos, posição usualmente apelidada de anti-americanismo.
As pessoas que animam estes divertimentos públicos não estão preocupadas com o sofrimento humano, com os direitos humanos, com os equilibrios geoestratégicos, com a economia, com a democracia. Se estas pessoas se mobilizassem por a mais ínfima partícula destas nobres causas, teriamos que ter visto muito mais manifestações durante estes anos, quando mataram o milhão no Ruanda, meio milhão no Sudão, dois milhões no Zaire, trezentos mil na Argélia, cento e tal mil na Jusgoslávia. Quantas manifestações vimos por estas causas? Os cidadãos do Aspirinab, em quantos esforços participaram por estas pessoas? Andaram caladinhos que nem uns ratos e a ocupar o tempo com idas à Cinemateca porque se tratavam de pretos a sofrer? Ah, calma, não deve ser por isso, não me lembro de nada pelo Sri Lanka, contras as brincadeiras entre a China, a India e o Paquistão, ou pelas obras de terraplanagem que a Rússia levou a cabo em Grozny.
Estes eleitores movem-se pelas hipóteses de se engalanarem com os melhores crachás do momento, e como nos noticiários ocidentais, mortes na China, na India ou em África só fazem aparição a partir de pacotes com mais de 455 mortes e 1315 feridos, a coisa passa desapercebida. Mas se alguém chamuscar o cabelo por acção de um avião dos EUA, então sim, arruma-se logo uma manifestação ou um post "geo-estratégico".
Eu estou aqui a escrever estas banalidades, que cegam de tão evidentes, para dizer o seguinte: acho o anti-americanismo razoável. Quer dizer, eu tenho os meus anti-americanismos: os Óscares, os carros, a comida, a direita religiosa. Não vejo nenhuma vantagem em que o anti-americanismo acabe. Primeiro, porque isso significaria que os EUA já não seriam a nação mais poderosa do Mundo, o que seria péssimo para mim, que o país que mais gosto é os Estados Unidos. Segundo, porque a crítica ao todo-poderoso é a melhor dica, assim se seja inteligente, da manutenção do todo-poderoso como todo-poderoso de facto.
Acho que seria muito fácil à América fazer melhor que aquela merdeira dos Óscares, não percebo como é que se pode ter uma industria automóvel tão patética, aquela comida não lembra ao diabo e há exemplares na direita religiosa que, pronto, quer dizer, uma pessoa dá vontade de pedir a secessão outra vez.
O anti-americanismo faz-nos mais parvos, esquemáticos e deixa-nos mais burros, é certo: o Brokeback Mountain é um bom filme, a Ford sabe fazer carros, existem vinhos inacreditáveis no Napa Valley e se muita da pior religião em democracia mora lá, a melhor também.
Quem se associa a estas manifestações tem que arcar com estes dissabores, nomeadamente, a certeza de que a essência daquilo é a mais completa aridez de pensamento ou ideias, um movimento menos na defesa de uma alternativa que na derrota de um ódio. Não pode andar por aí a assobiar para o ar como se aqueles gajos de lenço ao pescoço não existissem, têm que responder pelas pessoas burras, ignorantes, idiotas, jovens com menos de 35 anos autómatos dos seus preconceitos ideológicos que não percebem que os defeitos que apontam à América de hoje são, e a maior parte das vezes na sua forma patológica e neurótica, aquilo de que precisamente mais sofrem. Se sou obrigado a responder pelos mortos de Fallujah, agradecia que me respondessem porque é que as pessoas so se mexem pelos males de Bush.
Prefiro um hipócrita à procura de petroleo, ah pois prefiro."

Situação fiscal regularizada?

"A Direcção-Geral dos Impostos (DGCI) deixou caducar uma alegada dívida de IRS superior a 740 mil euros ao contribuinte António Carrapatoso, presidente da Vodafone Portugal.
A notícia faz manchete na edição desta quarta-feira do jornal Diário de Notícias, que refere ainda que a alegada dívida diz respeito a rendimentos auferidos por António Carrapatoso em 2000 e, como tal, teria de ser notificada ao contribuinte até 31 de Dezembro de 2004.
Contudo, não terá sido que aconteceu, tendo a liquidação sido feita apenas em 2005, fora do prazo legal.
Segundo o jornal, um funcionário dos impostos terá, ainda assim, colocado no sistema informático que a liquidação foi feita em 2004, sem que tivesse, no entanto, qualquer suporte documental que lhe permitisse garantir que tal correspondia à verdade.
Face à liquidação fora de tempo, o presidente da Vodafone apresentou uma reclamação graciosa da mesma com base, entre outros motivos, na caducidade do direito à liquidação por parte da Administração Fiscal.
A resposta a esta reclamação graciosa já foi dada e, segundo apurou o DN junto de António Carrapatoso, o fisco deu razão ao presidente da Vodafone ao considerar que não havia lugar ao pagamento de qualquer imposto. Como tal, o presidente da Vodafone garante ter a sua situação fiscal regularizada."
À parte da questão moral que implica a "fuga ao fisco" de António Carrapatoso (se a notícia corresponder à verdade!), o mais grave será mesmo o erro do(s) funcionário(s) que deveria ter procedido à notificação do contribuinte faltoso em tempo. Parece-me que este é um daqueles casos em que haveria motivos mais do que justos para despedir o funcionário em causa e eventualmente responsabilizá-lo pelos prejuízos causados ao Estado.

terça-feira, março 21, 2006

Que bonito!

A tese do Dr. Nuno Ramos de Almeida em fotos

Nesta fotografia é claro que os estudantes pretendem unicamente dialogar com a polícia e, para o efeito, decidem levar mais umas cadeiras para a sala de reuniões onde pretendiam conversar.

Já aqui também parece evidente que os jovens estudantes, numa atitude visivelmente pacifista, decidem fazer uma fogueira para aquecer as mãos.

Aqui aparece um polícia malandro, depois de agredir estudantes indefesos à bastonada, a fingir que está ferido para não ser castigado pelas chefias.

Mais outro polícia fascista, disfarçado de jovem, a incendiar uma viatura de um facho qualquer, para dar a ideia de que os jovens estudantes usaram da violência e da destruição para exteriorizar a sua indignação perante uma lei injusta.

Mais uns voluntários que quiseram ajudar a polícia, uma vez que estava muito escuro, de forma a que os senhores agentes não se perdessem na noite escura e fria.

Por fim, temos esta fotografia em que se vê claramente alguns estudantes numa atitude conciliadora a tentar chegar à fala com a polícia, a qual, numa atitude incompreensível agride selvaticamente os coitados dos manifestantes que apanham cacetada à grande e à francesa sem reagir.

Em jeito de conclusão, temos pois uma cabala montada pela comunicação social que pretende escamutear a verdade, ignorando a violência exercida por uma polícia que evidencia tiques pidescos em face de manifestações pacíficas. É uma vergonha. Os jovens, qual Maio de 68 e Abril de 74, reagiram de forma civilizada contra uma lei que pretende instituir a escravatura e foram barbaramente agredidos sem dó nem piedade. Haja muitos como o Dr. Nuno Ramos de Almeida (Director do jornal do BE) que a verdade há-de ser conhecida.

A dar-vos música... outra vez!

Como não gostaram muito da outra música, deixo-vos esta. Espero que seja mais do vosso agrado.

Toda a verdade

O Dr. Nuno Ramos de Almeida, Director do jornal do Bloco de Esquerda, descobriu toda a verdade relativamente aos protestos pacíficos dos desgraçados dos estudantes franceses a propósito da nova lei da escravatura que querem aprovar em França. Para o provar publicou uma foto que revela toda a violência gratuita da polícia que levou à quase morte de um manifestante. Na tentativa de o ajudar a desmontar a cabala que álguns órgãos de comunicação social montaram, dando a entender que teriam existido manifestações violentas, irei publicar de seguida algumas fotos que sustentam a tese de conspiração.

A dar-vos música...

Embora não seja consensual entre os incontinentes, a minha escolha musical vai recair nos Pearl Jam, com "Elderly Woman", sinal de que as minorias também são respeitadas neste blogue (apesar de nos acusarem de intolerantes).

Nervous breakdown!

Que orgulho pertencer a este blogue!

Um amor antigo

Chavez e os amigos portugueses

Estava ontem a ver e a ouvir Chavez na televisão a discorrer todo o seu ódio, no melhor dos vernáculos, relativamente a Bush e não pude deixar de imaginar o sorriso que malta como o Oliveira, o Rainha e o Ramos de Almeida deviam ter na cara se estivessem a ver televisão naquele momento.

Igreja é notícia

Um pouco por todo o lado se sentem as mais diversas denúncias contra o "obscurantismo" da igreja católica no que diz respeito à SIDA, uma vez que a igreja não considera o preservativo como a forma mais eficaz de combate àquela doença. Chegaram a comparar a atitude da Igreja ao crime de "genocídio", acusando-a de ser a principal responsável pela propagação do virús em África. Mas a verdade é que a par de todas estas vozes que, não conhecendo a fundo a (complexa) realidade, optam por estas acusações redutoras, a ONU veio reconhecer a importância da Igreja Católica e de outras igrejas cristãs na prevenção e luta contra a SIDA, sobretudo em áAfrica!
Em Janeiro de 2006 reuniu-se em Genebra um grupo de representantes de organizações católicas, ecuménicas e internacionais que se encontram na linha da frente da prevenção e luta contra a SIDA. A Cáritas, a ONUSIDA (agência da ONU para a SIDA) e a Organização Mundial de Saúde (OMS). Este encontro permitiu um bom intercâmbio de ideias. Todos reconheceram o importante papel desempenhado pela Igreja no apoio aos doentes: 25% das organizações humanitárias dedicadas a apoiar os portadores do vírus são suportadas por estruturas da Igreja.
Este papel da Igreja na prevenção da SIDA passa sobretudo pela Educação. "As respostas dos crentes à Sida foram vistas na ONU como um elemento positivo para combater a discriminação e ajudar as pessoas a viver com o vírus para melhor o enfrentar. A ONU, agora, dá-se conta de que a Igreja Católica é o coração e o sistema nervoso das nossas comunidades", afirma Duncan MacLaren, Secretário-Geral da Cáritas. Deste encontro sai ainda um propósito: que as organizações católicas tenham maior acesso aos fundos da ONU para o combate à SIDA. Apesar de todoo o trabalho, estas organizações recebem apenas 2% do dinheiro gasto pelo Fundo Global para a Luta contra a SIDA, a Tuberculose e a Malária.

Queria cantar Portugal

No dia 7 de Abril, às 21h vai haver um espectáculo de comemoração dos 20 anos de carreira de Gonçalo da Câmara Pereira. Eu vou participar no coro e nas danças, com amigos meus e alguns familiares do fadista. Vai ser uma festa em grande! Os bilhetes estão à venda no site do CCB.

"Poeta e compositor, canta desde novo, embora só tarde tenha gravado o seu primeiro LP, “Minha Guitarra”, para a editora Discosete.Autor, produtor e encenador de vários musicais que marcaram uma geração, “Um dia no Alentejo”, “Fado é Vida”, “ Fado dos Câmaras”, entre outros, regressa este ano ao CCB com uma retrospectiva da sua obra musical apoiada essencialmente na história de Portugal, da qual é apaixonado, e baseado no seu livro de poesia “ Queria … cantar Portugal”.
Com os sons, as danças e cantares populares portugueses, acompanhado pelos seus habituais músicos e por cerca de 40 amantes do nosso folclore, coreografados pelo guardião das nossas puras tradições – Mestre Jaime Coelho – percorre a musicalidade do nosso pais de lés a lés num espectáculo por si concebido, que nos faz sentir prazer, a honra de sermos portugueses e de querer … Cantar Portugal."

Não percam! Vamos todos "Cantar Portugal"!

Palavras (des)conhecidas II

respaldo: 1. Encosto das cadeiras. 2. Encosto de qualquer banco ou assento. Banqueta do altar sobre o qual se coloca o crucifixo e os castiçais. 4. Declive de uma montanha. 5. Alisamento ou aplainamento de um terreno ou caminho; acção de respaldar. 6. Cilindro com que se alisa ou respalda um caminho ou estrada. 7. Defeito ou calosidade no cavalo, originada pelo atrito do arção traseiro da sela. 8. Apoio ou protecção, especialmente de carácrter moral ou político.
In Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, Academia das Ciências de Lisboa
[a propósito das declarações de Martins da Cruz de ontem em que utilizou por diversas vezes a palavra, referindo que nem a intervenção no Kosovo nem a do Iraque tinham o respaldo do Direito Internacional. Presumo que o ex-ministro pretendesse dar o significado do ponto 8, ainda assim parece-me que a escolha da palavra não terá sido a mais acertada]

Será que o título seria o mesmo se se tratasse de um militante do CDS ou do PSD?

É curioso ver como a informação que sai a propósito do BE é tratada com tamanha lisura. Principalmente quando as declarações do visado têm em si contradições assinaláveis. Afirma o próprio que, mesmo num partido bastante livre no expressar de opiniões, se perde liberdade intelectual. Ele, aliás, já o tinha afirmado no seu blogue "no plano da intervenção pública e cidadã, preciso desta nova fase marcada por mais independência e mais liberdade". Se a verdade fosse só esta nunca Joana Amaral Dias poderia ter sido mandatária para a juventude de Mário Soares. Talvez valha a pena ler o que Vale de Almeida já diz há algum tempo sobre o bloco, nomeadamente no que respeita às suas posições em face da agenda gay.

Ainda a propósito das caricaturas de Maomé


Ao que parece a senhora ministra havia participado da decisão de encerrar um site (alegadamente de extrema-direita) que se preparava para publicar as caricaturas. Mais tarde, acossada pela comunicação social que a acusou de estar a coarctar a liberdade de expressão, alegou que não tinha nada a ver com o encerramento do site, o que veio posteriormente a verificar-se que era mentira. A ministra demitiu-se. Aconselho o nosso MNE a pôr os olhos na atitude tomada por esta senhora.

EDP

Ouvi de manhã na tsf que o presidente dos CTT, Luís Nazaré (antigo ministro socialista), pretende alterar o acordo colectivo de trabalho, o qual foi denunciado ao fim de 25 anos em vigor, nomeadamente no sentido de permitir uma maior mobilidade dos trabalhadores entre as instalações da empresa, acabar com a progressão automática na carreira (até agora unicamente dependente da antiguidade) e rever o sistema de protecção na doença (ao que parece único em Portugal).
Claro está que veio imediatamente um sindicalista dizer que as alterações propostas não são aceites pelos trabalhadores e que o presidente terá de voltar atrás nas suas pretensões.
O que eu gostava é que alguém explicasse a este senhor do sindicato que se ele e os seus colegas "carteiros" têm as condições de trabalho que têm actualmente é porque nós o permitimos com os nosso impostos. Estava na altura de explicar a estes senhores que ou aceitam, com razoabilidade, alterar algumas das regalias que injustificadamente continuam a receber ou que uma parte substancial dos 14.ooo trabalhadores dos correios terão de ser "dispensados".
É pena que não haja coragem para tanto.

A dar-vos música...

No sábado vi um concerto de Michael Bublé na rtp2. Um óptimo concerto deste rapaz que dizem ser o sucessor de Frank Sinatra. Home (neste link poderão ver o videoclip) é assim que se chama a música que vos apresento, com entrada directa para as incontinências musicais.

segunda-feira, março 20, 2006

A caminho de Bolonha

Título suspeito... mas meramente figurativo. Falo da Convenção de Bolonha e do caminho que ela aponta para a so-called integração europeia ao nível do ensino universitário. Resta saber se as medidas propostas responderão com diligência aos objectivos apontados, a exemplo: aprofundar as relações entre os países da europa, dar à realidade do ensino universitário novos horizontes, aumentar-lhe a qualidade e eficácia, promover cada vez mais o "mutual exchange of information and documentation as esential to da steady progress of knowledge"(Magna Carta Universitatum, Bolonha, Setembro 1988), aumentar a atractividade da europa, garantir igualdade de oportunidades, etc, etc. São imensos os objectivos pomposos, de nomes apetitosos que todos (naturalmente) se orgulham de proclamar em vez de se envergonharem de não cumprir!
"A Europe of Knowledge is now widely recognised as an irreplaceable factor for social and human growth and as an indispensable component to consolidate and enrich the European citizenship, capable of giving its citizens the necessary competences to face the challenges of the new millennium, together with an awareness of shared values and belonging to a common social and cultural space." (The Bologna Declaration of 19 Junho 1999)
A verdade é que esta convenção conta já com a adesão de cerca de 55 países. Em Portugal a sua regulamentação, que eu saiba, ainda não deu sinal de vida (para não variar). Avizinha-se uma grande reviravolta, em todas as universidades e em todo país. Portugal nunca está preparado para grandes mudanças: entra tudo em órbita, comenta-se, critica-se, manifesta-se, atrasa-se. Tudo menos deitar mãos à obra! E enquanto não se segura o barco, alguns acabam por ir ao fundo. Temo que com Bolonha não seja diferente.
Na minha faculdade nem alunos nem professores parecem ver com bons olhos tanta "modernidade". A mudança do plano de curso: passamos a ter um grau de licenciatura de 3+1 anos, mas para exercer alguma profissão são precisos 3+2 anos; depois um mestrado de 4+1+1 anos: isto é, com 5 aninhos já podemospodemos trabalhar mas ficamos com o mestrado a meio: é da maneira que ganhamos incentivos para ambos os lados; a alteração do sistema de avaliação, a semestralização das cadeiras, aumentando o número de cadeiras opcionais e facilitando a mobilidade de estudantes e professores, a introdução dos ECTS (sistema de créditos europeu). Tudo isto, basicamente, obriga a repensar os conteúdos das cadeiras, a uniformizá-los, disponibilizando para consulta um caderno com essas descrições para que todos saibam o que é que corresponde a cada cadeira; obrigará a eliminar algumas cadeiras, a aumentar o número de cadeiras por ano, a reduzir o tempo de exames orais e escritos, a considerar a hipótese das orais obrigatórias (que poupam tempo e papel a quem faz e a quem corrige), a (re)valorizar a avaliação contínua (ponderar a dispensa com 10). Bolonha exige trabalho. Exige mais rigor. Têm acusado os professores da FDL de elitistas, conservadores. Todos os argumentos têm sido brandidos e suscitados pelos mesmos, dentro do Conselho Científico. Cada um na defesa das suas cadeiras e das suas áreas. Cá para mim nunca se chegará a um acordo. Isto só lá vai com acordos e compromissos recíprocos. A minha posição pode parecer pouco imparcial já que fiz erasmus em Bolonha e tudo o que venha de lá me há-de sempre parecer fantástico. No entanto a minha nota final é neutra e é a seguinte: o rigor e a exigência beneficiam a verdade. Se não fôr com base na busca da verdade o ensino superior deixa de ser "científico". Deixa de valer a pena. Posto isto vamos todos a "caminhos de Bolonha"!

Coitada, esqueceu-se: é o que dá comer tanto queijo!

Ser ou não ser

Acabo de chegar da ecografia do meu terceiro filho(a), já com 8 semanas, onde vi e ouvi o coração a bater com mais força e vigor que muitos corações de pessoas já adultas. Estou cada vez mais convencido da falta de razão de todos aqueles que pretendem legalizar a morte de tais seres, invocando para tanto argumentos económicos e sociais.

"You are a donkey, Mr. Danger!"

Estou a ver que esta malta de esquerda tem toda a mesma cartilha. No outro dia, apareceu aqui pelo blogue um tal de Sr. Moreira que nos apelidou de "montes de merda"; agora Chavez apelida Bush de coisas ainda piores. Já pouco esperava destes radicais de meia tigela que pululam por aí em busca de protagonismo, mas nunca pensei que o nível fosse tão baixo. Haja paciência para aturar estes meninos mal educados.

Os objectivos do BE

O Nuno Ramos de Almeida (NRA) do Aspirina, além de co-blogger do referido blogue é também editor do jornal do BE. A última edição do jornal, que podem ler na íntegra no site do BE, tem muitos motivos de diversão e entretenimento, mas gostaria de destacar (i) o editorial do NRA que ataca José Manuel Fernandes (director do Público), tentado equiparar a "luta" das mulheres pela paridade e a agenda gay pela igualdade de direitos, e também (ii) o artigo do mesmo NRA acerca da luta pelos direitos dos trabalhadores da indústria do sexo. São ambos os textos (além de hilariantes) reveladores dos objectivos políticos do Bloco de Esquerda. Embora nada me mova contra NRA (aliás, herdeiro de um apelido que muito prezo, que o meu pediatra já usava), tenho pena que embarque em tamanho embuste e alinhe nas diatribes do Professor Anacleto, até porque parece ser rapaz inteligente e bem falante. Mas enfim, "o circo não vive só de palhaços".

Vital Moreira elogia Cavaco


Sem querer comentar o facto de Vital Moreira achar que o Governo está a ter um bom desempenho, não posso deixar de constatar o enorme elogio que o Professor de Direito faz ao Cavaquismo. Quem diria que um dos maiores apoiantes do Dr. Soares é afinal um admirador do Presidente eleito!? Senhor Professor, mais vale tarde que nunca!

Dúvida de Vital Moreira

Sugiro outras questões:
- Se o candidato José Sócrates tivesse anunciado previamente que ia aumentar os impostos, será que tinha conseguido ganhar as eleições?
- Se o candidato Jorge Sampaio tivesse anunciado que ia dar posse a um Primeiro-Ministro não eleito e mais tarde demitir um Governo maioritário, será que tinha conseguido ganhar as eleições?

Palavras (des)conhecidas

abajoujado: Que é um tanto ou quanto palerma, tolo.

In Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, Academia das Ciências de Lisboa

"Não julgues e não serás julgado"

O irresponsável Dr. Barroso

Em linguagem jurídica diria que se tratou de negligência grosseira ou dolo eventual. Em termos políticos, diria que é uma enorme irresponsabilidade fazer este tipo de declarações quando a situação está pior que nunca no terreno, com constantes ataques terroristas contra militares e civis. Independentemente de se discutir a bondade da intervenção no Iraque, parece-me que os políticos, em especial os que têm responsabilidades acrescidas (como é o caso de Durão Barroso), deveriam ter mais tento na língua e evitar agudizar ainda mais o conflito. Esta declaração mais parece uma desculpa de mau pagador e reforça a posição de todos aqueles que contestam a intervenção, dando força às acções terroristas daqueles que pretendem a retirada americana para, dessa forma, conquistar o poder pela força. Shame on you Mr. José Manuel Barroso!

Importa-se de repetir?

Paulo Bento:
"Ganhámos 8 jogos mas não ganhámos nada"

Jorge Jesus:
"Sabia que ganharia o jogo a equipa que tivesse um momento de desconcentração"

Deixem jogar o Mantorras

domingo, março 19, 2006

Para todos os blogues

sábado, março 18, 2006

Manifestações II

Comemorações do 3.º centenário damorte de Luís de Camões, em 1880
Confesso que nesta manifestação, realizada no mesmo local, nem de perto passaria.

Manifestação I

Hoje tive que passar pela manifestação organizada pelo BE sobre a questão do Iraque. Estava preocupado ao passar por lá, não fossem pensar que era mais um manifestante. Fiquei completamente descansado quando ouvi alguém dizer: "olha, o betinho!"

sexta-feira, março 17, 2006

Fátima Felgueiras

Para quem já se tinha esquecido de Fátima Felgueiras, li aqui que o Tribunal de Instrução de Guimarães decidiu hoje levar a julgamento a autarca pelos 23 crimes de que foi acusada, incluindo participação económica em negócio, corrupção passiva e abuso de poderes.

O AMNM de volta às preciosidades! II

"Ó SEU(s) MONTE(s) DE MERDA !!!!!!"

É assim que começa o comentário do António Moreira ao que escrevi sobre ele. Devo dizer que fiquei muito satifeito com o seu comentário. Já tinha saudades das atitudes primárias e violentas do António. Ler com atenção, pois o António tem uma forma de escrever muito peculiar.

Ao camarada Bart Simpson

Mais uma música para o grande camarada Bart "Ivan" Simpson.

Lixo



Os "meninos" franceses voltaram ontem à carga. Entre outros feitos, decidiram montar umas barricadas com caixotes do lixo. Tenho uma sugestão: já que não querem precaridade (que bela palavra!) no emprego, o Estado francês que lhes ofereça uns contratos definitivos na recolha do lixo, já que têm tanto jeito para fazer merda.

O AMNM de volta às preciosidades!

O António Moreira do SEDE num comentário no Aspirinas escreve:
O que me espanta é que alguém que diz coisas inacreditáveis sobre a Igreja e que não se assume como cristão queira ser padrinho de alguém. Quando os pais e padrinhos levam uma criança junto à água do Baptismo, querem transmitir-lhe não apenas a vida mas também a fé, e prometem conduzir e acompanhar essa criança no caminho da fé. Não serve para satisfazer amizades. Quem não tem fé não deve ser padrinho numa celebração religiosa, parece-me lógico.

Ao Camarada Bart Simpson


Camarada Bart Simpson,
a revolução vermelha chegou a este blog. Junto-me a ti nessa dor que em breve será extinguida. Com a fraternidade e a união dos nossos camaradas, esmagaremos esses capitalistas que não passam de cães que ladram e rosnam ao passar um camarada.
O espírito de Abril estará sempre presente na memória de todos os que lutaram pela liberdade, como foi o caso do Prof. Freitas do Amaral. Nada nem ninguém pode matar a alma dos oprimidos e dos excluídos de uma sociedade podre e hipócrita em que poucos tinham muito e muitos tinham nada. O povo unido jamais será vencido e fará deste país uma segunda Cuba livre. Coragem! Camarada, a revolução está próxima e os porcos capitalistas gritarão por clemência.
Avante

P.S. O Comité Central está muito preocupado com o teu nome capitalista. Propuseram que fosses mandado para a Sibéria, afim de te corrigires. Sugiro que mudes o nome para Ivan ou Lenine.

P.S. Para vossa delicia, gostaria de dedicar esta música, que representa a união do povo, ao grande Camarada Bart “Ivan” Simpson e a todos os porcos imperialistas.

P.S. Desculpa lá o tratamento por tu, mas entre camaradas não há esses tratamentos hipócritas.

quinta-feira, março 16, 2006

Grande bronca: mais uma empresa que deu lucro!

Sei de pessoas e mais pessoas que não vão achar piada nenhuma a esta notícia. Como é que uma empresa privada, num período de crise como este que o país atravessa, se atreve a obter bons resultados e a aumentar o lucro? Para além de mandar fuzilar os accionistas ali para os lados do Campo Pequeno, sugiro que a empresa seja nacionalizada e os lucros confiscados para serem entregues a quem trabalha! Camaradas, não se esqueçam: "O Povo unido jamais será vencido"!

Justiça

Aqui há tempos o Dr. Grave Rodrigues - advogado de duas lésbicas que se pretendem casar, em clara violação da legislação que regula o assunto - disse que em breve teríamos notícias que nos deixariam desgostosos. Não sei se o Dr. se referia à sentença do Tribunal de 1.ª Instância que foi entretanto proferida, a qual confirmou a decisão do Senhor Conservador que indeferiu a sua pretensão, mas tenho a dizer que, pelo contrário, fiquei muito satisfeito com a mesma, pois faz, como habitualmente, Justiça! Estou ansioso pelo resultado do recurso interposto para a Relação.

Vá lá compreender esta gente! III

O blogue com maior número de patetices por posts, continua a fazer das suas. Desta vez, reproduz um cartoon de péssimo gosto, em que o autor demonstra todo o seu ódio à Igreja Católica. Por mim, pode ficar descansado que não o vou perseguir nem queimar o carro. Se ele fosse advogado é que teria de se preocupar, pois ainda apanhava com um processo por difamação em cima.

"É verdade que o Benfica jogou pouco"

Mas não deixo de achar extraordinário que numa página inteira dedicada ao jogo na Luz, no "DN", não se leia uma única linha sobre o modo como o golo foi marcado depois de uma assistência com o braço. Pode ser um pormenor, mas não deixa de ser importante."
Pensei escrever um post sobre o mesmo assunto, mudando apenas o jornal em questão (Público).

Cigano

Não chora Rainha

O Rainha do Aspirina conseguiu num só post demonstrar todo o ódio que sente pela Igreja, pela Banca e pelo sucesso alheio. A inveja é, de facto, um sentimento tramado que nos tolda o pensamento e nos leva a dizer os maiores disparates. Para além do insulto fácil e despropositado à Opus Dei (apelidando-a de "Santa Máfia" e de "seita") e à Associação Cristã de Empresários ("foclórica") e Gestores de Empresas (instituições que conheço pelo nome e com as quais não tenho qualquer tipo de relacionamento), o referido sujeito aproveita para fazer demagogia barata e patética, confundindo conceitos e seleccionando os factos de forma a dar a sua visão torpe da realidade.
Desde logo, mostra uma total ignorância (a alternativa é estar de má fé) quando diz que o Presidente do BCP assumiu que ia despedir 3000 trabalhadores do BPI, com a "intenção de chutar com 3.000 famílias para parte incerta".
Adiante, o indivíduo em causa mostra o seu desagrado pelo alegado "farisaísmo desta malta que nos fala em santidade, em Deus e em Ética para no fim se revelar tão gulosa". Não sabia que "esta malta" andava a falar em santidade ao Rainha do Aspirina. Porventura, será trabalhador do BPI para estar tão desgostoso com a OPA anunciada. Uma coisa é certa, antes isso que jornalista, pois enquanto tal seria um péssimo profissional.
BlogBlogs.Com.Br