sábado, setembro 06, 2008

Publicações e comunicação social de direita: precisam-se urgentemente

Dislates de imprensa (12)

Estou numa conferência de economistas e psicòlogos e assisti ontem a uma interessante apresentação sobre a influência dos media nos eleitores. O conferencista demonstrou, empiricamente, que o canal Fox News, de índole conservadora, teve impacto na votação dos americanos em 2000 e 2004. Para isso comparou pares de cidades vizinhas por todo os EUA em que, em cada par, uma acedeu à Fox via cabo antes das eleições e outra não. Os resultados mostram que aquelas cidade que tiveram acesso à Fox News passaram a escolher mais os candidatos republicanos em comparação com as eleições anteriores.

Esta ideia nao é nova, aliás está sempre presente nas discussões em Portugal sobre o papel da comunicação social. O que é novo é a apresentação de evidência empirica com base em informação respeitante a vários milhões de americanos.

Em Portugal, e na Europa em geral, é habitualmente a direita que se queixa da parcialidade da comunicação social. O meio jornalistico está fortemente impregnado de ideias e preconceitos de esquerda e mesmo os jornalistas mais conservadores são pressionados a defenderem, ou pelo menos a nao contradizerem, essas ideias e esses preconceitos. A resposta habitual da esquerda é que a comunicao social portuguesa é isenta pois ha muito que serve os seus (da esquerda) interesses.

Mas se esta evidência se aplicar a Portugal, está explicado, em parte, por que é que o país vota tanto à esquerda. Após anos de bombardeamento de ideias e preconceitos de esquerda torna-se difícil, mesmo ao mais convicto defensor dos valores conservadores, manter e afirmar os seus ideais.

Torna-se por isso urgente criar orgãos de comunicação social verdadeiramente de direita. Só conheço uma revista com tais características, e tem circulação restrita, a Futuro Presente. O resto finge que é de direita, como a Atlântico, mas vai defendendo o casamento entre homens sexuais e afins.

Etiquetas: ,

13 Comments:

Blogger Pedro Fontela said...

Ricardo Alves,

Eu não sou de direita e acho que os media têm uma forte influência conservadora! E daí? A questão central é que os meios de comunicação social têm a sua própria agenda que não se enquadra sempre muito facilmente no esquerda/direita ou liberal/conservador. Daí que até para ser ver as noticias seja interessante não aceitar tudo a "face value", temos que interpretar o que nos dizem - organizações dedicadas exclusivamente à propaganda perdem credibilidade, interesse e utilidade porque o seu publico é aquele que já está convencido da posição que está a ser vincada.

ps: até a vergonhosa fox news tem o bom senso de negar a pé juntos que é parcial.

9/06/2008 2:16 da tarde  
Blogger Pedro Fontela said...

ps2: o argumento contra a atracção do mesmo sexo (qual é o eufemismo que prefere?) é brutal pela argumentação desenvolvida...

9/06/2008 2:17 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

E quando é que se aprende Português, ao menos, para escrever?

Nuno

9/07/2008 7:50 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Quando é que este blogue retoma a qualidade que tinha ainda há pouco tempo?

9/07/2008 8:00 da manhã  
Blogger O Inimputável said...

A verdade é que se avaliarmos com independência e isenção o espaço público que é dado aos líderes de opinião e colunistas na nossa comunicação social, as ideias de esquerda (se é que assim as podemos rotular) tem uma presença inequivocamente maior. Este facto distorce a suposta representatividade e imparcialidade que a comunicação social (pela menos aquela que se assume com isenta) deveria ter. A grande questão é saber se existe uma "censura encapotada" ou limitação da exposição das posições de direita ou mais conservadores. Veja-se, por exemplo, o tempo de antena que é dado ao bloco de esquerda. Afinal quanto vale o BE em termos de representatividade social? E qual é o espaço que ocupa diariamente nos media? Será por acaso, ou trata-se de algum jogo de influência e cumplicidade com a comunicação social.

9/07/2008 3:10 da tarde  
Blogger RICARDO PINHEIRO ALVES said...

Meus caros,

A comunicação social pode ser o que quiser. A Fox News é conservadora e toda a gente o sabe. A diferença é que na Fox News não há medo em dizer o que pensaem e em serem rotulados de conservadores. Em Portugal há.

Há quem diga que é por falt de dimensão do mercado. Poderá ser. Mas o que acontece na prática é que os jornais se dizem todos isentos quando não o são. E n
ão admitem rótulos quando andam com eles colados na 'testa'.

O ponto é que não há comunicação social nem publicações de direita em Portugal. Esse é que é o problema que urge resolver.

Urge editar pela direita.

9/07/2008 3:39 da tarde  
Blogger RICARDO PINHEIRO ALVES said...

Caro Pedro Fontela,

Não argumentei nada contra a atracção do mesmo sexo. È uma realidade que demonstra o quão somos todos diferentes e o quão ridículo é o igualitarismo que domina a nossa sociedade. A pretensão do casamento entre homossexuais é apenas mais um exemplo desse ridículo igualitarismo.

9/07/2008 3:43 da tarde  
Blogger RICARDO PINHEIRO ALVES said...

Caro anónimo,

O blogue recupera a qualidade que tinha quando os anónimos se assumirem.

Assuma-se, não se esconda infantilmente por trás do ecrán e do teclado.

9/07/2008 3:46 da tarde  
Blogger L. Rodrigues said...

"A pretensão do casamento entre homossexuais é apenas mais um exemplo desse ridículo igualitarismo."

E eu que pensava que seria o reconhecimento da diferença.

No discurso de Obama em Denver ouvi um argumento pelo assunto acerca do qual desconheço a realidade nacional, mas que não devia ser matéria de discussão.

Quando o parceiro de uma vida de alguém é internado num hospital, a visita pode ser negada por aquele não ser "de família".

Não sei como é cá, mas se é assim, não é humanamente inaceitável?

9/07/2008 5:00 da tarde  
Blogger RICARDO PINHEIRO ALVES said...

Caro L. Rodrigues

O que não é aceitável é as visitas serem limitadas a alguém de família. Mas isso não tem nada a ver com o casamento de homossexuais.

O casamento de homossexuais é defendido em nome da igualdade. Por isso cai no ridículo. Claro que mais tarde ou mais cedo vai ser aprovado dado que não há ninguém na direita que proponha qualquer alternativa. Basta ver a constituição portuguesa para constatar a quantidade de 'ridicularias' que existem na lei portuguesa.

9/07/2008 5:43 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Isto é uma anedota que, infelizmente, náo dá, sequer, para rir.
Os jornalistas, de tão ignorantes, nem fazem ideia do que seja a Direita - apenas são espertos para sacar uns euritos para a bucha e alguém que lhes pague uns copos.
Os homosexuais são casos de estudo e tratamento por psiquiatras (que não psicólogos) e de endocrinologistas a quem se pede, encarecidamente, que lhes dêem a normalidade perdida.
Casamentos entre paneleiros e fressureiras? Está tudo doido?
O blogue perdeu a qualidade que tinha pela perda de qualidade dos seus apresentadores e pela perda de qualidade dos seus visitantes.
Seria um desperdicio assumir (você deve querer dizer identificar) a minnha identidade nesse meio.

9/08/2008 7:43 da manhã  
Blogger L. Rodrigues said...

Este anónimo é um case study em si mesmo: Primeiro, os homossexuais são uns doentes que precisam de cura.
Mas no parágrafo seguinte, já são uns degenerados.
E os hemofílicos podem casar? Os albinos? Os asmáticos?
Como é? São doentes ou são degenerados? Ou uma coisa é sinónimo da outra?

9/08/2008 2:52 da tarde  
Anonymous RPA said...

caro L. Rodrigues,

Não vale a pensa perder tempo com anónimos que não se assumem.

9/08/2008 6:17 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

BlogBlogs.Com.Br