quinta-feira, outubro 12, 2006

Política à portuguesa

Oiço na tsf que Jardim, perante a demonstração de força do Governo da República, se prepara para se demitir, de forma a provocar eleições antecipadas na Madeira. A ideia é ir a votos mais cedo e mostrar ao Governo quem manda na Madeira.
Entretanto, no continente, prossegue o braço de ferro entre os municípios (maioria PSD) e o Governo.
Suspeito que, em ambos os casos, a ideia de Sócrates passe por retirar dividendos políticos do aproveitamento até à exaustão das idiotices de Jardim, por um lado, e das suspeitas de corrupção que pairam sobre as autarquias, por outro.
A estratégia de Sócrates é aparentemente brilhante, na medida em que, perante a inexistência de oposição à governação que lhe permita vitórias no plano da retórica política, opta ele próprio por se transformar em oposição às autarquias (dominadas pelo PSD) e a Jardim (cada vez menos suportado no Continente).
Para além de imaginativa, a ideia do nosso PM pode também ser perigosa, pois hipoteca as hipóteses de vitória socialista na Madeira por muitos e bons anos e, no plano das autarquias, arrisca a que a população se una em volta dos actuais autarcas que não se vão poupar a populismos para imputar ao Governo as deficiências dos seus mandatos.

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Quem manda e mandará na Madeira é o dinheiro dos contribuintes do Continente.

Quem paga o governo das Autarquias é o FEF, suportado pelos mesmos contribuintes.

Como diziam os outros do filme: "DIE FETTEN JAHRE SIND VORBEI!" (acabou-se a fartura...)

Bom Selvagem.

10/12/2006 3:58 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Mas n haveria papel higiénico que chegasse para limpar as figuras tristes do Alberto. Agora..n temos que lhe pagar o forró.

10/13/2006 7:54 da manhã  

Publicar um comentário

<< Home

BlogBlogs.Com.Br