sexta-feira, abril 11, 2008

Em resposta à falta de jeito

Cara Beatriz,

1) A Beatriz não apoiou qualquer atropelo estatutário e o processo que conduziu à eleição do Dr. Paulo Portas foi, à época, julgado como estatutariamente adequado e possível pelo Conselho Nacional de Jurisdição. E não é que isto releve, porque acredito que quem aplica os estatutos o faz por análise jurídica séria e independente, mas relembro que este órgão tinha sido eleito em lista afecta ao Dr. Ribeiro e Castro por oposição a uma lista, à época, encabeçada pelo Dr. João Rebelo.

Depois da presunção, a Beatriz optou por recorrer ao humor. Só mesmo o humor pode justificar a classificação de “Análise jurídica séria e independente” ao aborto que saiu do Conselho Nacional de Jurisdição cuja manipulação, se bem me lembro, foi pronta e publicamente denunciada por vários dos seus membros. Para reforçar a sua lúcida interpretação a Beatriz recorre, uma vez mais, aos argumentos formais escamoteando a realidade. É pouco. É poucochinho.
---


2) Não me parece, de todo, má fé optar por antecipar as eleições em um mês ao invés de as protelar 4 meses, numa época em que, como sabemos, o calendário eleitoral é muito apertado e é fundamental que as distritais e concelhias se preparem para os actos eleitorais que aí vêm. Foi esta a explicação que foi dada em Assembleia Distrital e eu tomo-a por boa.

A Beatriz toma por boa as explicações que lhe dão mesmo quando estas resistem mal ao teste da realidade. Ah, e quando lhe convêm.

3) Eu não acho, meu caro MSN, mas ouvi ontem que a forma de dar as boas vindas aos novos militantes era deixá-los votar e que seria muito difícil de lhes explicar porque não o poderiam fazer. Confesso que eu já me filiei no CDS há uns anos, mas não me lembro de na altura estar muito interessada em votar. Queria aprender, participar, intervir, e votar não era, de todo, a minha prioridade. Estes 100 novos militantes terão todo o tempo de votar para as suas concelhias, distritais e até no líder, em eleições directas.

Uma vez mais, revestida de púdica aura, a Beatriz revela à blogosfera que, mais do que votar, queria aprender, participar, intervir. É bonito, chega até a comover, mas a verdade é que a aprendizagem, a participação e a intervenção dos militantes dos partidos que não tenha em conta a existência de eleições ou que lhes coarcte a possibilidade de votar é não só fútil como estéril. É inevitável constatar que a idealista Beatriz que não estava interessada em votar deu lugar a uma outra que está interessada em que os outros não votem. Há quem lhe chame evolução.

4) Como disse, e mesmo podendo desmascarar o facto de já ter alguns anos, eu filiei-me no CDS com 18 anos, há 8 anos. Nessa altura era Presidente o Dr. Paulo Portas. Sempre ajudei o partido no que me foi pedido. Sempre dei o que de melhor tinha pelas causas em que acreditava. Há 8 anos. Não me iria, naturalmente, desfiliar só porque a liderança tinha mudado. Fiquei e continuei a defender o projecto em que acredito, sempre de forma clara, aberta e frontal. Nunca escondi que votei no Dr. Telmo Correia no Congresso de Lisboa, que fiz parte do projecto Fazer Futuro que foi ao Congresso da Batalha e, naturalmente, estive ao lado do Dr. Paulo Portas desde o 1.º dia em que ele manifestou ao país a sua vontade de regressar à liderança do CDS. Podem dizer que sou um nadinha obstinada e demasiado “fiel” ao Dr. Paulo Portas. É verdade! E já agora, e para que conste, gosto bastante mais dele que do George Clooney!

A Beatriz pode descansar que não será a sua idade que mais sai desmascarada desta discussão, nem a sua fidelidade a quem quer que seja. Não sei se é o George aguentará semelhante subalternização.

5) A Beatriz não gosta, de facto de transferências. Podia tê-las usado, mas nunca usei. A Beatriz também não gosta de golpadas. Também as podia ter feito e não quis. Por isso sei o que é ganhar eleições, mas também sei o que é perder. Já estive num lado e no outro! Podia ter ganho eleições na secretaria com esquemas processuais ou outros. Mas preferi sempre o jogo claro. Por ganhei e perdi. É naturalíssimo!

Pergunto-me se esta Beatriz que confirma ter podido ganhar eleições na secretaria com esquemas processuais ou outros, mas que o não quis fazer, será a mesma que agora cauciona um esquema processual porque lho explicaram numa qualquer Assembleia Distrital?

6) No CDS as sondagens nunca são de fiar. Sabemos que muitas vezes somos mais penalizados por elas que pelo voto efectivo. Por isso não serão as sondagens que me vão fazer dispersar ou desmoralizar! Acredito no CDS e acredito no líder do nosso partido. Acredito que ele ainda tem muito a dar a Portugal e que pode fazer um incrível trabalho em muitas áreas. A verdade é que nos últimos tempos o CDS tem marcado pontos em diversos assuntos: Fiscalidade, Educação, Segurança, Saúde, Economia, e são apenas exemplos!

Já se percebeu no que a Beatriz acredita. Aquilo que ainda não está claro é que mais será preciso acontecer para que a Beatriz perceba o descrédito que se abateu sobre o CDS. Fruto da acção do seu Presidente e de alguns dos dirigentes que dele dependem. Concedo que a fé, em alguém ou em alguma coisa, seja um fenómeno digno de respeito mas duvido que a crendice o seja da mesma forma. E é de mera crendice do que aqui se trata. É que a marcação de pontos de que fala a Beatriz consubstancia-se em valores pouco mais que residuais nas sondagens - os piores dos últimos três anos - e na unanimidade de apreciação negativa junto da comunicação social. Mais do que pontos, o CDS é um nó.

7) Agradeço-lhe a correcção! Felizmente ainda não existe um acordo ortográfico português/espanhol exclusivo da Beatriz!

Aproveite para corrigir as “boas vindas” (a isto gosto de chamar crítica construtiva).

8) A Moção Fazer Futuro sempre se assumiu como um projecto geracional. Não é da JP mas essa geração estava na JP e representa o que é, e sempre foi, o espírito da JP: Autonomia, Liberdade, Irreverência, Dinamismo, Coragem e Frontalidade! Esse é o nosso espírito e a JP não se deixa, nem deixou nunca, instrumentalizar, por mais respeito e consideração que nos mereçam os dirigentes do partido.

Este é o meu parágrafo preferido, confesso. Ao abdicar de ter uma moção própria e ao prestar-se à parte gaga, a JP sossobrou enquanto estrutura autónoma e voltou a transformar-se num joguete nas mãos de alguns.

Apesar de estar há oito anos no CDS, a Beatriz conhece mal a sua história e a da JP. Só assim se compreende a forma enfática como declara a sua não instrumentalização. É obviamente casual que dois dos presidentes da JP (e um seu ex-secretário-geral) tenham sido eleitos secretários-gerais em listas de Paulo Portas depois de usarem a estrutura da JP em contendas internas. É obviamente irrelevante que o candidato a secretário-geral de Telmo Correia não se tenha demitido da liderança da JP e a tenha usado durante dois anos como trincheira até que não precisou mais dela. É certamente coincidência que, das duas vezes que assumiu a liderança do CDS, Paulo Portas tenha usado a mesma estratégia de “manipulação” da juventude.

9) Quanto ao tema das transferências assumo o meu perfeito espanto face ao seu comentário e ao pedido de prova da afirmação que faço, na medida em que foi ontem dito, por um representante do AR, durante uma Assembleia Distrital, que existiam 30 transferências. Assumi a informação por verdadeira. Terei feito mal?

Fez mal, mas eu não a recrimino. Imagino que a emoção de participar na Assembleia Distrital possa ser impeditiva de perceber muito do que lá se passou. Quanto a este ponto, posso dizer-lhe que não há efectivamente 30 transferências. Se alguém o disse, o que eu duvido, não corresponde à realidade. Posso assegurar-lhe que transferências não são mais do que 6, todas justificadas. O AR apresentou efectivamente 100 novas filiações, mais até. Para o confirmar sugiro que se informe junto dos órgãos competentes.

Para finalizar, um conselho. Mais do que preocupada em erguer bem alto a bandeira do CDS, a preocupação maior deveria ser em levantar a bandeira de Portugal.

4 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Louvo quem perde tempo a ler e a responder a posts deste tipo. Não, não é um auto-elogio. Mas, deixem-me dizer que não percebo o espanto dos que acham ou achavam que a actual Direcção do CDS/PP iria facilitar a vida ao AR. Tome-se nota: para Portas e seus apoiantes, os fins justificam os meios. Acho que ainda não se percebeu o que Portas fez a Ribeiro e Castro... O que, um ano depois, já começa a ser demasiado para que não se tenha percebido ao menos isso.

4/12/2008 2:41 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Que com ferros mata, com ferros morre...
Espero que o dr. Portas perceba isso.
Quanto à Sra.D. Beatriz é apenas uma lacaia menor do dr. Portas, não merece esta atenção.

JJPML

4/12/2008 12:02 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

E a quem pensar um poucochinho o que � que isto interessa?
.

4/13/2008 5:29 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

4/15/2008 10:36 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

BlogBlogs.Com.Br