sábado, março 01, 2008

A oposição pela negativa

De acordo com as sondagens, os portugueses vivem um clima de pessimismo económico, quando os dados estatísticos parecem indicar que deveriam sentir-se optimistas.
Ao contrário das economias europeias que estão em desaceleração, a economia portuguesa está a acelerar. No passado, só conseguíamos crescer por arrasto dos outros países, crescendo apenas quando eles cresciam. Desta vez, tudo indica que estamos a crescer às nossas próprias custas.
Pela primeira vez na sua História, Portugal tem uma balança comercial de produtos de tecnologia positiva. Não estamos a exportar têxteis e calçado ou outros produtos de países em vias de desenvolvimento. Estamos a exportar máquinas, electrónica, automóveis, software, produtos tecnológicos com maior incorporação de valor.
Aparentemente, isso pareceria indicar que a estratégia que elegeu o PS há três anos estaria a surtir efeito. O Choque Tecnológico parece estar a produzir resultados e as empresas portuguesas estão, de facto, a começar a criar riqueza em produtos tecnológicos.
Seria de esperar um clima de optimismo moderado, sem excessos de confiança, pois a recuperação é ainda latente. Mas um clima de confiança apesar de tudo. E, no entanto, somos os mais pessimistas da Europa? A que se deve esse derrotismo?
A única explicação que consigo encontrar é o clima de desmoralização que se vive na direita. O PSD andou a tropeçar num líder pouco carismático e acabou por o substituir por um líder populista. O PP tentou um líder de grande realismo, que ensaiou um regresso às raízes do partido mas, também aí, o partido se deixou sucumbir à tentação fácil de um populismo que, aparentemente, gerou recentemente bons resultados. No entanto, confirma-se que a História acontece como Tragédia e se Repete como Comédia e a liderança do PP está completamente descredibilizada.
Perante essa total ausência de oposição à direita, cria-se um clima de desmoralização e de derrota antecipada que leva a direita a não ter forças para reagir pela positiva, constituindo-se como alternativa de poder. Vira-se, então, para a baixa política, a política negativa de deitar abaixo.
Não se vê uma alternativa credível à direita, um modelo de sociedade que pudesse rivalizar com o Choque Tecnológico. Perante isso, a direita reage como animal acossado e atira dardos venenosos contra o governo.
É pena. É pena porque este governo governaria muito melhor e faria muito menos erros se tivesse uma oposição eficaz. Assim, como está, é por vezes um governo complacente. Colhe agora os frutos que semeou no início da legislatura mas já não demonstra a mesma frescura de ideias. Estou em crer que vai manter o estado de coisas até às eleições e creio até que renovará a maioria absoluta, por falta de comparência da oposição. Mas não é aquela força que começou a mudar o país há três anos. E não o é, estou em crer, por culpa da oposição. Quando o PM tem de estar mais preocupado em ver que esqueletos lhe vão encontrar no armário, que projectos é que assinou, que disciplinas é que fez com cunha, está menos preocupado em lançar medidas que são boas para o país. Se, pelo contrário, a oposição o atacasse com ideias melhores do que as dele, ele teria de estar em guarda e levar-se a fazer melhor. Com esta oposição, só tem de se limitar a proteger as costas de uma bala perdida. É pena.

5 Comments:

Blogger lusitano said...

Realmente!!!
Não me tinha apercebido que o país estava tão bem!
Não me tinha apercebido que a culpa dos portugueses estarem descrentes era da direita!
Não me tinha apercebido que não se devem dar noticias de coisas que envolvam o primeiro ministro porque o impedem de trabalhar melhor!
Não me tinha apercebido que essas coisas só se devem dizer da direita que é para ver se fazem melhor oposição, que convenhamos, realmente não tem rumo nem credibilidade!
Ingratos estes portugueses que têm um tão bom governo, um primeiro ministro tão educado e nada arrogante, que sabem perfeitamente que estão a melhorar de vida, sentem-no todos os dias, e mesmo assim não andam felizes e contentes, e a dar vivas ao governo!!
Ou talvez seja porque estão a levar balas perdidas nas costas!!!

3/02/2008 1:43 da manhã  
Blogger José Luís Malaquias said...

O país não está todo bem por igual. Há coisas que vão bem melhor, outras que nem por isso.
Não estou a dizer que a direita não deve fazer oposição. Deve fazer melhor oposição. Em vez de perguntar quanto é que Sócrates teve a inglês técnico, deve perguntar porque é que o sistema universitário português está em saldo, ameaçando a recuperação tecnológica futura a médio e longo prazo. Em vez de perguntar que projectos Sócrates assinou, deve perguntar porque é que se continua a construir à balda pelo país todo e porque é que os engenheiros técnicos continuam a poder assinar prédios sem a intervenção de um arquitecto.
O PS comete muitos e muitos erros mas a direita, que está sem norte, só se foca nas questões superficiais, deixando a substância por mexer.

3/02/2008 9:55 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

É evidente que o Povo deveria estar contente. Não pelos bons resultados propagandeados e que são falsos, como toda a gente sabe, mas por que, finalmente, tem um exemplo, a todos os títulos notável, que é um primeiro ministro canalizador encartado.
Onde é que já se viu isto?
Mais, até que enfim a maralha pode ir fazer abortos quando quer e à borla com todas as condições, intervervenções que têm prioridade sobre outras cirurgias de que depende, quantas vezes, a vida dos desgraçados que estão à espera e que não interessam nada a ninguém. Aliás, para o governo chupista até interessa e muito é que essa gentinha se fine.
Uma boa ideia para os sociolistas era desenvolver e promover crematórios, a custo de saldo, para os corpos não ocuparem espaço. Os pato-bravos ainda continuam loucos para construir.
Confirma-se, portanto, que todos os que chucham nisto que estiveram no comando estão a levar Portugal onde sempre, mas sempre pretenderam. Se a Nação já está enterrada é preciso despejar-lhe em cima mais lodo.
As balas perdidas escaqueiraram-me um relógio - vejam lá a sorte. Porém, quem deve ter medo de que isso possa acontecer é, justamente, quem está a causar a miséria de que o Povo se queixa.
Tenham muita cautela!...

(Com pontinho.)
.

3/02/2008 10:01 da manhã  
Blogger L. Rodrigues said...

Vá lá caro Malaquias, consegue certamente fazer melhor.
Os portugueses estão pessimistas porque as empresas responsáveis por 60% do PIB registam subidas de lucros de 40 e muitos por cento, e os salários reais baixam, e o desemprego aumenta, e outras coisas assim.
E não vêm à direita (onde isso de resto não é de esperar) a intenção e muito menos a capacidade de inverter isso. E à esquerda do PS está um BE que tarda em ganhar solidez, e um PC que não muda.

3/02/2008 8:36 da tarde  
Blogger José Luís Malaquias said...

Caro I. Rodrigues,

É bem capaz de ter razão.
No outro dia fiquei, de facto, doente, quando soube que os lucros dos cinco maiores bancos portugueses eram 2400 milhões de euros. Se não me falham as contas, isso é cerca de 2% do PIB.
Realmente, custa ouvir mandar apertar o cinto, quando a banca vive uma riqueza faraónica.

É um caso a pensar.

3/02/2008 9:10 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

BlogBlogs.Com.Br