quarta-feira, setembro 12, 2007

Políticos de trazer por casa


Quem anda pela blogosfera tem muito por onde escolher em termos de assunto. Temos os blogs de putos de liceu que não têm interesse nenhum e que só falam de MTV e de telemóveis. Temos os Blogs da malta do tunning, onde se aprende onde comprar aquelas luzes roxas para pôr debaixo do carro. Temos os blogs intelectuais e psedo intelectuais. Temos os blogs gay, os homofóbicos, os de gordos, os de magros, os de miudas giras e os de miudas que querem parecer giras. Temos blogs para todos os gostos.
No entanto há um tipo de bloguer que acredita ser o rei. O supra sumo dos bloguers. O salvador da pátria e do planeta. Desse pequeno nicho de iluminados, que cada vez existem mais, fazem parte os bloguers comentadores políticos. Todos têm algumas qualidades comuns, sejam eles de esquerda profunda ou caviar, de direita profunda ou de direita sande de coirato, com sagres mini preta. Todos são visionários, todos sabem muito de ciencia política e de relações intenacionais, e todos acham que o actual sistema de partidos está esgotado.
Consoante a sua corrente lêem todos a mesma coisa e acham que, se são por exemplo liberais, têm de defender essa visão em tudo, até no modo como se vai à casa de banho. Quando se começa e ler o texto de um desses "visionários" sobre um determinado assunto, é muito raro ficar-se supreendido, por isso já só os leio de vez em quando para confirmar esta minha teoria.
Muita desta gente não conhece o país real, o país das famílias com dois filhos e rendimento médio de Euro: 1300, no entanto falam horas sobre as coisas que aprendem nos curso de ciencia política da UCP, e sobre o modo como tudo tem de mudar.
A todos sugiro que vejam ou revejam "Il Gattopardo", e que aprendam que "tudo tem de mudar para que tudo fique na mesma"

6 Comments:

Anonymous Anónimo said...

...não há festa nem festança que não site o dito de Lampedusa (vem no livro antes do filme, já agora). E, como não podia deixar de ser, está mal citado: a frase que vem livro é "é preciso que alguma coisa mude para que tudo fique na mesma". A diferença é súbtil mas imensa...

... vá, Tiago, mais um esforço...

9/12/2007 12:39 da tarde  
Anonymous Nuno M. Pereira said...

caro Anónimo,

Da próxima, experimente começar por "citar" em vez de "sitar". Não dói nada.
Vá, mais um esforço.

9/12/2007 2:07 da tarde  
Blogger Tiago Machado da Graça said...

Caro Nuno,

Folgo em verificar que há leitores como o Nuno que realmente vão além das gralhas e dos detalhes. Não se preocupe com o anónimo, é um fundamentalista do wikiquote de onde bebe a sua cultura que nem sequer chega a ser a metro, é ao centímetro como aliás também deve ser o resto, a julgar pela sua necessidade de se evidenciar.

9/12/2007 2:31 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

O Tiago Machado da Graça tem razão. Pena que não use um português mais convencional.

9/12/2007 2:36 da tarde  
Blogger José Luís Malaquias said...

Na realidade, julgo que a citação original é de "O Príncipe", de Maquiavel.
Quanto a só poder falar quem conhece o mundo real das famílias com dois filhos e um rendimento médio, tenho a felicidade ou a desdita de me encontrar nesse grupo.
Posso comentar?
É que toda a gente me diz que eu (e os demais trabalhadores por conta de outrem) vivo acima das minhas possibilidades, tenho salários demasiado altos, não tenho produtividade, a minha reforma não é sustentável e os demais chavões de quem quer travar a ascensão da classe média.
Mas depois vejo que quem me diz isso tem uma pensão ao fim de 8 anos, anda de carro com motorista, salta alegremente entre o estado e a gestão de empresas, numa promiscuidade escandalosa, gasta sumptuosamente e depois diz-me para ter contenção.

9/13/2007 12:12 da tarde  
Blogger nuno pombo said...

És capaz de ter razão, ZL.

9/13/2007 3:30 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

BlogBlogs.Com.Br