sexta-feira, março 07, 2008

diálogo impossível

Tenho para mim que uma das maiores dificuldades que as democracias enfrentam actualmente é o combate ao terrorismo. Nas últimas eleições espanholas, com a preciosa ajuda do ex-ministro do interior, um violento ataque terrorista a poucos dias das eleições virou as sondagens e fez eleger Zapatero. Por esse mundo fora, discute-se a tutela penal que deve ser dada a este tipo de casos, pugnando muitos (grupo em que me incluo) pela manutenção de direitos fundamentais mínimos a quem se dedica a este tipo de actividades. Parece-me, porém, claro que, para já, a democracia tem vindo a perder esta batalha.

3 Comments:

Blogger L. Rodrigues said...

Um post um pouco vago, caro Rui Castro.

A Espanha vive em democracia e com o Terrorismo há décadas. É muito discutivel se o que levou aos resultados que elegeram Zapatero, foi atentado em si ou a forma como o governo de Aznar lidou com o assunto.

Quanto aos direitos, se olharmos honestamente para as criticas feitas a processos como o Patriot Act, elas prendem-se com a forma como se tratam os suspeitos e não os culpados. Aceitará que numa nação civilizada é fundamental distinguir uns de outros, e tratar os primeiros com presunção de inocência até prova em contrário.

Deitar isto às urtigas é que poderá perder as democracias.

3/07/2008 5:58 da tarde  
Blogger Rui Castro said...

Caro I. rodrigues,
Peço-lhe que leia novamente o meu texto, o qual, apesar de curto, será tudo menos vago.
Atribuo culpas pelos resultados eleitorais das últimas eleiões ao atentado, referindo expressamente que o ministro do interior deu uma preciosa ajuda. Aliás, lembrar-se-á que o PP aparecia em primeiro nas sondagens, pelo que é impossível dissociar o resultado eleitoral do atentado.
Depois refiro que faço parte do grupo que defende que sos putativos autores de carnificinas semelhantes deverá ser assegurado a manutenção dos seus direitos fundamentais. Acabo a referir que, independentemente de tudo isso, a verdade é que a guerra está a ser perdida. Acha vago?
Abraço

3/07/2008 10:21 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Parece que estamos a divagar.
Quem cometeu o atentado de Madrid - que revirou tudo o que se podia esperar - e matou brutalmente duas centenas de pessoas não pode ser julgado com bebevolência.
Quem actuou e quem congeminou aquela barbaridade deve ser condenada às penas mais pesadas e duras.
Haverá muito que investigar mas, a qualquer um, será difícil retirar a ETA e, com certeza, o socialista PSOE das maiores responsabilidades de tão nefando crime.
Isso comprova-se pela falta de qualidade nas investigações e, sobretudo, pelo comportamento do governo socialista desde que agarrou as rédeas do poder.
Ou será que eu li mal os comentários anteriores?
(Com pontinho.)
.

3/09/2008 8:54 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

BlogBlogs.Com.Br